Desenhos das crianças

0 comentários

A garotada faz a festa com lápis de cor, papel e muita brincadeira!


Os desenhos das crianças de Torrão-Mupí retratam o cenário da complexa vida quilombola-ribeirinha. Podemos visualizar nos desenhos a presença dos rios e barcos, que são o meio de transporte utilizado e a presença de casas palafitas à beira dos rios, que são suas moradias. Também percebemos flores, árvores e animais, que representam fauna e flora típicos da região.
As crianças são bastante sensíveis ao meio ambiente em que vivem e em todo o tempo exaltam a grandeza de seu ambiente!
Por Caroline Guedes (Pós-vivência Cametá)

3ª Vivência do PROCAMPO em Torrão-Mupí

0 comentários


Relatório da 3ª Vivência: por Ana Caroline Guedes Souza.

A vivência realizada pela 3ª edição do PROCAMPO, durante 15 dias do mês de janeiro de 2010, na comunidade Torrão-Mupí, trouxe grandes experiências e aprofundamento dos conhecimentos acerca da comunidade, visto que é a minha segunda vivência neste local.
Pude vivenciar a rotina da casa de Dona Ângela (35 anos) e seu esposo Edinei (34 anos), que têm dois filhos, Elisângela e Irinei, de 12 e 8 anos, respectivamente. A mãe trabalha contratada pelo município na escola Francisca Xavier, a única que há na vila, como professora e coordenadora e o pai está desempregado, realizando apenas atividades domésticas.
A família mora na vila, a casa é uma parte de madeira e outra parte de alvenaria, possui 6 cômodos com janelas, arejados, piso de lajota, coberta com telha, o banheiro é dentro de casa e possui fossa séptica, chuveiro e pia, a casa tem energia elétrica, água encanada, a água pra consumo é do poço de um vizinho, pois alegam que a água é mais limpa, a base alimentar é o açaí com farinha e carnes, incluindo peixes e mariscos, no café da manhã se alimentam de beiju (massa feita de farinha de mandioca, que substitui o pão, bastante consumido entre os ribeirinhos) ou pão caseiro, o meio de transporte utilizado é uma moto e utilizam diversos aparelhos eletrodomésticos.
São todos alfabetizados, sendo que os filhos estão na 8ª e 2ª série. Dona Ângela é graduada em pedagogia. Quanto à saúde, não possuem doença referida na família e nem nos parentes próximos. A diversão da família é se reunir para assistir a televisão, ouvir música, cantar no karaokê, ou conversar em frente à casa a noitinha com os vizinhos. Têm bom relacionamento com a comunidade, participando dos eventos culturais e festividades. São católicos praticantes. Criam somente um animal doméstico (cachorro). A família não tem terras para produção, mas compram os alimentos de outras famílias que produzem.
Ao ser questionada quanto as melhorias que deveriam ser realizadas na comunidade, dona Ângela diz que a saúde precisa melhorar, pois o posto de saúde carece de recursos e mão de obra especializada, e quanto a educação, a escola precisa de mais recursos para se investir em infra-estrutura. Também são necessários melhoria das estradas com realização de asfaltamento, pois no período de chuvas a mesma fica intrafegável, investir no lazer através da construção de uma quadra poliesportiva e inclusão digital pelo acesso à internet para todos os alunos da escola.
A vivência possibilitou conhecer também o dia-a-dia de outras famílias, além de que pude observar o comportamento das crianças, que são bastante carentes de recursos, mas principalmente de carinho e atenção. Realizei junto às crianças atividades de desenho e participei das diversas brincadeiras que fazem parte de seu cotidiano. Pude observar que a dinâmica floresta-rio se faz presente em grande parte das brincadeiras, retratando assim o meio ambiente em que vivem. As famílias são no geral bem numerosas. Na casa onde fiz a vivência observei que o número de filhos é pequeno, pois a família fez um planejamento familiar.
O calor humano é intenso na vila Torrão-Mupí e o povo bastante acolhedor, que se preocupa em agradar os visitantes procampistas. São muitas as festividades que ocorrem em Mupí e ao mesmo tempo a religiosidade é marcante. A economia local é baseada na produção de farinha, e na colheita do açaí e outros frutos como o bacuri, o cupuaçu e a castanha para a própria subsistência, ou venda de excedentes.
A vivência, portanto, é um momento em que se pode enxergar uma nova realidade e a partir de então utilizar-se de ferramentas que possam intervir nesta realidade, promovendo assim diversas melhorias que supram as necessidades deste povo.

Inauguração da Biblioteca Novo Olhar

0 comentários



No dia 24 de Outubro, a equipe do Programa de Vivência Estudantil-Camponesa (PROCAMPO) inaugurou a primeira biblioteca da comunidade de Mupí-torrão, localizada à 18 quilômetros da cidade de Cametá. O espaço foi instalado na Escola Municipal Francisca Xavier Alves de Vasconcelos e o acervo conta, até o presente momento, com mais de 600 livros. Na cerimônia de inauguração, estavam presentes aproximadamente 60 pessoas: “Os moradores ficaram muito contentes com a biblioteca, por que apesar da escolar oferecer um ensino considerado muito bom, ainda não tinha um espaço dedicado à leitura”, comentou bastante emocionada Lorena Abrahão, estudante de Letras e monitora do PROCAMPO.

Para agradecer pela biblioteca, os moradores encenaram três peças baseadas em dois livros escritos por Walcyr Carrasco, “O irmão Negro” e “O menino narigudo”, e em um de Luiz Puntel, “Um leão em família”. “Ficamos bastante surpresos com a apresentação das peças que eles fizeram, percebemos que eles tinham se preparado, por que houve até troca de cenários. Sentimos que foi uma demonstração que a comunidade estava satisfeita com o nosso trabalho. Foi a minha melhor experiência dentro do PROCAMPO”, afirma Alison Castilho, membro da equipe do PROCAMPO.

Além das três peças baseadas nos livros, a comunidade ainda apresentou mais duas sobre a lenda da mandioca e do boto no centro comunitário de Mupí, mais conhecido como Barracão. Após a peça, os monitores ministraram a palestra sobre higiene bucal distribuindo os Kit’s doados pela Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará (SESPA).

As atividades ainda continuaram no centro comunitário com uma roda de carimbó no ritmo da “farinhada”. “A farinhada é uma dança típica da região, começou por que os moradores, antes de colherem a mandioca para fazer farinha, acordavam e faziam as batucadas em um ritmo um pouco diferente do carimbó, que é a farinhada”, explicou Caroline Guedes, também monitora do PROCAMPO. Apesar da biblioteca já ter sido inaugurada, a equipe ainda aceita livros para doação. Os interessados em contribuir doando livros para o acervo devem entrar em contato através do email: poscameta@hotmail.com

Atividade em Pacajá

0 comentários





Com o objetivo de conseguirmos apoio e participação da comunidade da vila de Pacajá, no que diz respeito à construção dos projetos a serem realizados na mesma, fomos a várias casas da comunidade convidando os moradores a participarem da reunião que seria realizada às 16:00h, e também para convidá-los a participarem das palestras que seriam realizadas às 19:00h, na escola Celina Hermes.

Na reunião, discutimos com a liderança e os moradores da comunidade sobre os projetos a serem implantados na vila, pois, não queremos decidir sozinhos, já que acreditamos que devemos ouvir o que eles têm a falar e quais as suas demandas. O objetivo é estabelecer com a comunidade uma dinâmica de parceria, tendo em vista as suas reais necessidades. Nessa reunião comentamos sobre alguns projetos que já foram implementados em outra comunidade deixando explicito que o nosso interesse é de colocá-los em pratica ali também, ouvimos as opiniões e propostas, e acabamos decidindo quais projetos que iram ser executado tal como o projeto da biblioteca implementada na comunidade do Mupí, pois identificamos a carência em relação ao habito da leitura entre as crianças e os jovens. Foi acatada a proposta e em breve estaremos inaugurando mais uma biblioteca em uma comunidade agrária de Cametá dessa vez no Pacajá.

Dentre as atividades propostas pela equipe da pós vivencia de Cametá a ser realizadas na comunidade de Pacajá foi ministrado um ciclo de palestras voltadas principalmente ao publico jovem, em que os temas abordados estava relacionado à seguinte temática: Doenças Sexualmente transmissíveis, Gravidez na Adolescência e Planejamento Familiar. Estes temas possuem uma significativa importância na comunidade agrária já que, é visível a falta de informação dos pequenos agricultores em relação ao que foi discutido, tal fato é explicito haja vista que, a taxa natalidade entre jovens sem que haja um conhecimento em relação ao planejamento familiar se faz presente nessa comunidade, e foi perceptível a participação da comunidade nos debates em relação aos temas como também foram sugeridos pelos jovens novas abordagens em relação a temas e oficinas voltadas a educação, saúde, esporte e lazer ao qual a equipe da pos vivencia poderia trabalhar na comunidade.


Identidade (perda) cultural

0 comentários


Quando fala-se em populações tradicionais, é necessário que se explique o conceito de tradicional para tais populações. O conceito de tradicional não está ligado exclusivamente ao passado ao atrasado, como muitas vezes se pensa, e sim a historicidade do lugar, todavia se adaptando e se inteirando com a realidade atual.

Nesse contexto existe a preocupação que essas tradições, traduzidas em cultura, se percam pelo caminho, ou sejam adulteradas por culturas globalistas. Outra preocupação dessas populações seria a constante migração de seus jovens para as grandes metrópoles mais próximas, desse modo pondo em dúvida a permanência da comunidade. No entanto é necessário que se pese e se perceba qual o nível de contaminação que as relações anteriormente citadas assumem perante tais comunidades, em que pontos elas realmente corrompem e destroem a cultura local ou se apenas as modificam adaptando-as.

FOTOS- PALESTRAS E ATIVIDADES

0 comentários







ESTAS FOTOS FORAM TIRADAS NO DIA EM QUE FORAM REALIZADAS AS PALESTRAS SOBRE OS TEMAS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS, GRAVIDEZ NA ADOLESCENCIA E PLANEJAMENTO FAMILIAR, VOLTADOS PARA O PÚBLICO JOVEM. ENQUANTO ISSO AS CRIANÇAS SE DIVERTIAM EM OUTRO LOCAL COM BRINCADEIRAS E DINÂMICAS.

APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

0 comentários


APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS:

A equipe de Pós vivência de Cametá está atualmente com .... projetos de extensão, sendo que alguns já estão em andamento, outros aguardam resposta, e outros estão em fase de planejamento e estruturação.

1- SAÚDE (Aguardando resposta de órgãos competentes):
Pretende-se com essa iniciativa facilitar às famílias das comunidades visitadas pelo PROCAMPO o acesso à consultas médicas e ao atendimento à saúde bucal, ocular e saúde da mulher, bem como promover orientações profiláticas para as mesmas. Serão ministradas palestras e documentários sobre temas da área da saúde.

2- HORTA (Aguardando resposta de órgãos competentes):
A construção da Horta Agroecológica visa a criação de um espaço de convivência comunitária. A escola, nesse contexto, aparece não somente como uma referência de educação camponesa, (com perspectivas de educação ambiental), mas também como um espaço de livre acesso à toda comunidade. A horta oferecerá ainda reflexões sobre melhores alternativas alimentares, trabalhando a educação alimentar não somente das crianças, mas também de seus cuidadores, proporcionando uma educação que inclua o aprendizado sobre o cultivo de diferentes verduras e cuidados com higiene e, por conseguinte, com a saúde.

3- BIBLIOTECA (em andamento):
O “Projeto Novo Olhar - Biblioteca Ribeirinha” é uma iniciativa nascida da necessidade de incentivar a leitura, principalmente para as crianças, de pessoas que moram na comunidade de Pacajá e seus arredores. A implantação de uma biblioteca comunitária será realizada em parceria entre a comunidade e o PROCAMPO. As comunidades ribeirinhas estão entre esses grupos que carecem de atenção e precisam resgatar sua cultura que está um tanto perdida. A obtenção de conhecimento ajuda as lideranças locais a lutarem por melhorias em diversos setores como educação, saúde e melhorias de infra-estrutura relacionadas a saneamento e meio ambiente.
Neste contexto, surgiu a idéia de montar uma biblioteca que oferecesse a esses alunos uma variedade de livros didáticos e textos, como literatura infanto-juvenil, revistas, gibis, etc, juntamente com um projeto de atividades ligadas à leitura. Acreditamos que esse material ajudará a fazer da leitura um ato prazeroso e contínuo, além de contribuir para o desenvolvimento das crianças nas atividades escolares.
A idéia consiste em reunir livros didáticos e de literatura oriundos de doadores. Os livros serão encapados e organizados por áreas do conhecimento, separados por série, e posteriormente catalogados numa simples ficha contendo o nome, autor, gênero, e o que mais for necessário para um controle dos livros. Haverá um sistema de empréstimo a ser elaborado pela própria escola.
Organizaremos os livros em prateleiras e faremos decoração do espaço para que fique atrativo. Para inaugurar a biblioteca faremos um dia de atividades culturais com brincadeiras, jogos e músicas que estimulem a leitura através da ludicidade.
As atividades de brincadeiras com premiações serão: jogo da memória, gincana de leitura, colagens, mural com as colagens, brincadeiras de roda, leitura de historinhas infantis com reflexões, entre outras. Os jogos serão: dominó, dama, e outros jogos de tabuleiro. As músicas serão regionais com danças típicas.

4- CINEMA (em andamento no Pacajá):
O objetivo do projeto Cinema das Águas é Levar a magia do cinema a estas comunidades, como forma de conhecimento e entretenimento, despertando curiosidades e criatividade.
As Comunidades tradicionais, incluindo as ribeirinhas, têm dificuldade ou nenhum acesso a produções cinematográficas, pois muitas não têm energia elétrica em casa, ou quando tem energia não possuem televisão, e a maioria nunca teve oportunidade de conhecer uma sala de cinema, devido à grande dificuldade de acesso para chegar à cidade e à baixa renda que impede a compra de ingressos para assistir as sessões de cinema.
Ao final da sessão infantil faremos atividade lúdica com as crianças para que elas desenhem sobre o que assistiram.

5- CICLO DE PALESTRAS EM SAÚDE - PALESTRAS DST’S, GRAVIDEZ E PLANEJAMENTO:
Palestras sobre estes temas voltadas para o público jovem, com demonstrações práticas em próteses de borracha de como se usar corretamente a camisinha, distribuição de folders e de preservativos.

6- ESCOLA ABERTA: (EM ANDAMENTO):
O projeto visa proporcionar aos alunos da educação básica da escola pública de Torrão-Mupí e à sua comunidade espaços alternativos nos finais de semana para o desenvolvimento de atividades de cultura, esporte, lazer, geração de renda, formação para a cidadania e ações complementares às de educação formal.

7- CULINÁRIA - REAPROVEITAMENTO DE ALIMENTOS:
Oficinas práticas para mulheres aprenderem a reaproveitar alimentos como cascas de frutas e legumes, sementes e etc, evitando assim o desperdício além de proporcionar economia nos gastos com alimentação e melhoria da qualidade alimentar destas famílias.

8- OFICINAS de artesanato - MULHERES PARTICIPATIVAS NA RENDA FAMILIAR (CROCHE, BORDADO, COSTURA, pintura em tecido ETC):
Oficinas sobre diversos tipos de artesanato, que trarão diversos benefícios como fonte de renda alternativa, ocupação do tempo livre e consequentemente união da comunidade em cooperativas de trabalho.

9-LIXO EM COMUNIDADES RIBEIRINHAS - ALTERNATIVAS DE SUSTENTABILIDADE -
(Palestras MEIO AMBIENTE, O LIXO COMO FONTE DE RENDA ALTERNATIVA OFICINAS):
Reciclagem de papel, garrafa pet e fabricação de brinquedos artesanais. Em meio a intensa degradação ambiental em que vivemos atualmente, percebe-se que muitas pessoas destinam seus resíduos domésticos, o lixo, de maneira inadequada, jogando pelas ruas, dentro dos rios, etc.
Partindo da idéia de que o lixo pode e deve ser reciclado, e que este pode ser transformado em fonte de renda, elaboramos palestras para incntivar a preservação ambiental e ensinando sobre o acondicionamento adequado do lixo, bem como oficinas para ensinar a população a reciclar o seu lixo.

10- ALCOOL E DROGAS NA JUVENTUDE: SOLUÇÃO ATRAVÉS DO ESPORTE – PALESTRAS e OFICINA.
Proporcionar aos jovens a chance de aprender e praticar esportes diferenciados, ocupando assim seu tempo livre, esperando-se que ocorra uma redução no índice de criminalidade e de vícios. Haverá palestras e filmes sobre álcool e drogas.

11- PROJETO VELHO É O MUNDO – PROGRAMAÇÃO PARA A 3ª IDADE.
Proporcionar atividades aos idosos como danças, jogos, dinâmicas e palestras e ao final avaliar as melhorias que o projeto proporcionou aos participantes, investigando acerca da qualidade de vida dos mesmos.

12 - Projeto de Música para os Jovens:
Construção de instrumentos musicais reciclados e oficinas para ensinar os jovens a tocar os instrumentos de percussão. Uma das exigências do projeto é que os alunos tenham boas notas na escola. O objetivo é incentivar o exercício da cultura através de atividade prática e incentivar os jovens a estudarem.